Do jeito que veio ao mundo

Um cliente pediu seu espresso.

A barista perguntou: simples ou duplo?

Ele respondeu: como veio ao mundo.

Fiquei observando. Ele explicou. “Simples, como veio ao mundo. O duplo, ristretto, cappuccino, são coisas que vieram depois”.

Esse cara contou que frequenta o Santo Grão desde o primeiro sábado que abriu, lá em 2003. Perguntei:

“E o que você me diz do Santo Grão, desde quando veio ao mundo até agora?”.

“Talvez você ache isso estranho, mas acho que ele continua como veio ao mundo na essência. Quando eu entro, a equipe alto astral, o atendimento… tudo isso me faz ter a aquela sensação da primeira vez. É incrível como em todos esses anos evoluiu, sim. Móveis mudaram. E essa cultura se manteve”.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Você também pode gostar:

Como nos reinventamos?

Durante todo esse tempo de portas fechadas, refletimos juntos e nos preparamos muito para esse momento. Trabalhamos para repensar nossos hábitos, estudar novas ideias, olhar

Leia mais »

Mochilada até a Tida

Acordar cedo, pegar a mochila e viajar. Que sonho de trabalho! Conhecer pessoas, terras e frutos. De todos os jeitos e gostos. Quer saber como a Keiko encontrou nosso Black Honey? Vale a pena conferir essa história.

Leia mais »

Como integrar um time?

Uma boa conversa, uma troca de experiências… São boas oportunidades de se inspirar e se integrar. Nessa história, você pode ver o que nos inspira e nos integra.

Leia mais »

Um novo ponto de encontro

A Renata Cardozo agora comanda mais uma unidade do Santo Grão, no edifício UNE. Formada em Hotelaria, ela começou como hostess na unidade Oscar Freire

Leia mais »