“O negócio é meu e eu vou cuidar do Morumbi” – Katia Ribeiro

KÁTIA RIBEIRO

 

Almoçamos. Ela sempre com os olhos nos clientes. A equipe atendendo. “Ele é um doce de pessoa(não entendo?). Ela também! Temos uma equipe especial aqui”. A Katia Ribeiro é gerente geral do Morumbi. E olha tudo com carinho. “É meu e eu vou cuidar do Morumbi!”. E propriedade de quem já atuou em quase tudo. “Abri o Itaim junto com a Dani! Era garçonete. Em meio a tantas meninas lindas, fui líder da manhã. Depois, líder da noite. Isso me deu muita responsabilidade. Você tem que tomar suas decisões. Fazer as coisas acontecerem”. E muito aconteceu! Em 2018, serão oito anos de Katia no Santo Grão.

 

 

“Eu me candidatei!”

 

Quando Moema abriu vaga para gerência? “Eu fui. Como eu quero sempre algo novo, também gerenciei a Vila Madalena!”. A Katia não é de ficar parada. Já reparou? Mesmo quando o financeiro nas casas fez ela precisar voltar um passo! “Eu falei que voltava, sem problemas, para o salão no Itaim!” Em 2016, lá estava ela. “Foi uma surpresa voltar como líder. Eram muitas pessoas diferentes. Eu precisei conhecer o pessoal, um por um”. Mas se acomodar? Não é com ela. Em 2017, viu uma nova vaga. Agora para gerente geral no Morumbi. “Eu me candidatei! Sou assim. Quando já peguei alguma coisa, quero novos desafios”. Persistente, ela conquistou. Desde agosto de 2017, a Andreia – sócia da unidade – confiou a gerência do Morumbi à Katia!

 

“Formei toda equipe que está comigo!”

 

Ser a nossa gerente geral é estar de olho em tudo. A Katia é muito mão na massa. “Tem sido um aprendizado. Como fazer para mostrar para a pessoa o caminho, mas não fazer por ela?”. Ela questiona. E repensa. Imagine, uma unidade com 27 pessoas!

 

Com quantos ‘braços direitos’ se faz um Morumbi? “Eu formei toda a equipe que está comigo hoje!”. Ela suspira, cheia de orgulho. “Tem o Jhon Kennedy, gerente de atendimento, que super evoluiu! Conheci ele no Itaim e me impressionou com a filosofia da casa. O Wesley, assistente administrativo. A Mônica! A Nayara, chef de cozinha”. Parece que a Katia está em todo lugar “Eu só tomo decisões quando falo com a equipe. São eles que estão lá no dia a dia. Tem muito feedback. Procuro ouvir”. É assim na unidade, no Quiosque, no To Go! Dinâmica. E pronta para o sobe e desce de escadas.

 

“Eu vejo eles como coaches”

 

Boa na execução. Buscando aprendizado no planejamento. “A franqueadora? Eu vejo eles como coaches mesmo. Isso é do Santo Grão. Me ajudam no conhecimento. Direcionam. Busco sempre a Jaci, o Junior, o Paulo. Sinto que eles auxiliam muito”. E como é trabalhar com Marco? “Ele está me deixando muito à vontade. É o oposto do que eu esperava”. Ela se surpreendeu. E disparou logo em seguida: “Ele faz sentir que o negócio é meu. Não vou cuidar como se fosse meu. É meu e eu vou cuidar do Morumbi”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *